Festa da Misericórdia do Senhor.

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Avaliação: 0 votos

 

Dominica in Albis ou Festa da Misericórdia do Senhor, encerramento do Jubileu da Redenção. Quando fomos para essa solenidade, o meu coração pulsava de alegra por essas duas solenidades estarem tão estreitamente unidas. Pedi a Deus misericórdia para as almas pecadoras. Quando estava se terminando a celebração e o sacerdote segurou o Santíssimo Sacramento para dar a bênção, então vi Jesus tal como está pintado na Imagem. O Senhor deu a Sua bênção e os dois raios espalharam-se pelo mundo inteiro. Então, vi uma claridade impenetrável, sob a forma de uma casa de cristal, tecida de ondas de claridade inacessível a qualquer criatura, ou espírito. A essa claridade conduziam três portas.   Nesse momento Jesus, como aparece na Imagem, entrou nessa claridade - pela segunda porta - no interior da Unidade. É a Unidade Trina, que é inconcebível, que é o Infinito. Então ouvi a voz:  Essa Festa saiu do mais íntimo da Minha misericórdia e está  aprovada nas profundezas da Minha compaixão. Toda alma que crê e confia na Minha misericórdia irá alcançá-la. -Eu me alegrava imensamente com a bondade e a grandeza do meu Deus. Diário de Santa Faustina 420

 

 

Em determinado momento ouvi estas palavras:  Minha filha, fala a todo o mundo da Minha inconcebível  misericórdia. Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate. A Minha misericórdia é tão grande que, por toda a eternidade, nenhuma mente, nem humana nem angélica, a aprofundará. Tudo o que existe saiu das entranhas da Minha misericórdia. Toda alma contemplará em relação a Mim, por toda a eternidade, todo o Meu amor e a Minha misericórdia. A Festa da Misericórdia saiu das Minhas entranhas. Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da Minha misericórdia.  Diário de Santa Faustina - 699

 

2 imagem 2

Programação Cantata de Natal

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Avaliação: 0 votos

PROGRAMAÇÃO DA CANTATA DE NATAL

  • 25/12 – Igreja Nossa Senhora Aparecida [Urucuia/ Estrada da Chácara/ Serenidade] - 17h [CANCELADO]
  • 26/12 – Vale das Orquídeas - 17h
  • 27/12 – Vale das Orquídeas - 17h
  • 28/12 – Vale das Acácias/ Vale das Acácias Imperial
  • 29/12 – Guapimirim/ Contenda/ Nova Sardenha
  • 30/12 – Guapimirim/ Turvânia/ Recreio / Divina Misericórdia [entre as ruas Arcozelo e Poços de Caldas]
  • 01/01 – Igreja Nossa Senhora Aparecida [Urucuia/ Condomínio/ Tejo/ Boré]
  • 02/01 – Divina Misericórdia [a partir da Arcozelo até Águas Morna]
  • 03/01 – Monclaro Mena Barreto/ Alves do Vale/ Jagoroaba
  • 04/01 – Baguari/ Grapiúna/ Camaratuba
  • 05/01 – Ouro Branco começando na esquina com Rua Arcozelo até a rua Jambeiro
  • 06/01 – Rua das Rosas, nº 1115/ Ouro Branco [começando pela esquina da Rua das Rosas]
  • 07/01 – Sulacap
  • 08/01 – Potirendaba/ Verbenas
  • 09/01 – Tulipas/ Sabino Barroso/ Gastão da Cunha/ Pedro Moacir
  • 10/01 – Porto Santanna [em direção à Alagoinha - Sulacap]
1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Avaliação: 0 votos

Durante a meditação da manhã, envolveu-me a presença de Deus de uma maneira especial. Contemplei a incomensurável grandeza de Deus e, ao mesmo tempo, a Sua condescendência para com a criatura. Então, vi a Mãe de Deus, que me disse: Oh, como é agradável a Deus a alma que segue fielmente a inspiração da Sua graça! Eu dei o Salvador ao mundo e, quanto a ti, deves falar ao mundo da Sua grande misericórdia, preparando-o para a Sua segunda vinda, quando virá não como Salvador misericordioso, mas como justo Juiz. Oh, quão terrível será esse dia! Está decidido o dia da justiça, o dia da ira de Deus; os próprios anjos tremem diante dele. Fala às almas dessa grande misericórdia, enquanto é tempo de compaixão. Se tu te calares agora, terás de responder naquele dia terrível por um grande número de almas. Nada receies, sê fiel até o fim, Eu me compadeço de ti.

Diário de Santa Faustina - 635

COM quadro Imagem

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Avaliação: 0 votos

? Caríssimos, 

As noticias que nos vêm da Itália são devastadoras. Dizem-nos que os enfermos morrem sozinhos. Ninguém pode estar ao lado deles e suas famílias já não voltam a vê-los e nem eles à sua gente querida. Não pode haver cerimônias fúnebres, são enterrados de imediato, com apenas algum sacerdote para dar-lhes a última benção. 

Ante este pavoroso panorama, gostaria de convidá-los a que façam algo verdadeiramente importante: adote um moribundo.

Santa Faustina escreve em seu Diário: “Frequentemente convivo com almas agonizantes, pedindo para elas a misericórdia de Deus. Oh, como é grande a bondade de Deus, maior do que podemos compreender. Existem momentos e mistérios da misericórdia de Deus com que até os céus se assombram. Que se calem os nossos juízos sobre as almas, porque é maravilhosa a misericórdia de Deus para com elas.” (Diário – 1684)

Assim, pois, convencidos “que a oração pode atingir até onde não posso estar fisicamente”. (Diário - 163) convidamos todos a que nos dirijamos espiritualmente até o leito de algum moribundo, e rezemos junto dele o Terço da Misericórdia. Não sabemos quem é, nem onde está se na Itália, na Espanha ou em outro país, porém estejamos seguros que essa pessoa em agonia estará consolada e fortalecida na confiança em Deus, acompanhada da nossa oração. 

Estão morrendo sozinhos, centenas de pessoas, e se centenas de pessoas nos unimos para rezar por cada por algum moribundo, poderemos ajudar a essas almas na passagem da morte. 

   

Minha filha, exorta as almas a rezarem esse Terço que te dei. Pela recitação desse Terço agrada-Me dar tudo o que Me pedem. Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas, e a hora da morte deles será feliz.  (Diário - 1541)

                                                                                                                                   Padre Ricardo Gira - Valledupar /Colômbia.

Terço 5